Inglês

Facebook ignored or was slow to act on evidence that fake accounts on its platform have been undermining elections and political affairs around the world, according to an explosive memo sent by a recently fired Facebook employee and obtained by BuzzFeed News. The 6,600-word memo, written by former Facebook data scientist Sophie Zhang, is filled with concrete examples of heads of government and political parties in Azerbaijan and Honduras using fake accounts or misrepresenting themselves to sway public opinion. In countries including India, Ukraine, Spain, Brazil, Bolivia, and Ecuador, she found evidence of coordinated campaigns of varying sizes to boost or hinder political candidates or outcomes, though she did not always conclude who was behind them. “In the three years I’ve spent at Facebook, I’ve found multiple blatant attempts by foreign national governments to abuse our platform on vast scales to mislead their own citizenry, and caused international news on multiple occasions,” wrote Zhang, who declined to talk to BuzzFeed News. Her LinkedIn profile said she “worked as the data scientist for the Facebook Site Integrity fake engagement team” and dealt with “bots influencing elections and the like.” “I have personally made decisions that affected national presidents without oversight, and taken action to enforce against so many prominent politicians globally that I’ve lost count,” she wrote. The memo is a damning account of Facebook’s failures. It’s the story of Facebook abdicating responsibility for malign activities on its platform that could affect the political fate of nations outside the United States or Western Europe.

Português

O Facebook ignorou ou demorou a agir com base nas evidências de que contas falsas em sua plataforma têm prejudicado as eleições e os assuntos políticos em todo o mundo, de acordo com um memorando explosivo enviado por um funcionário do Facebook recentemente demitido e obtido pelo BuzzFeed News. O memorando de 6.600 palavras, escrito pela ex-cientista de dados do Facebook Sophie Zhang, está repleto de exemplos concretos de chefes de governo e partidos políticos no Azerbaijão e em Honduras usando contas falsas ou se apresentando de maneira incorreta para influenciar a opinião pública. Em países como Índia, Ucrânia, Espanha, Brasil, Bolívia e Equador, ela encontrou evidências de campanhas coordenadas de vários tamanhos para impulsionar ou impedir candidatos ou resultados políticos, embora nem sempre concluísse quem estava por trás deles. “Nos três anos que passei no Facebook, descobri várias tentativas flagrantes de governos estrangeiros de abusar de nossa plataforma em grande escala para enganar seus próprios cidadãos e causar notícias internacionais em várias ocasiões”, escreveu Zhang, que recusou para falar com o BuzzFeed News.Seu perfil no LinkedIn disse que ela “trabalhou como cientista de dados para a equipe de engajamento falso do Facebook Site Integrity” e lidou com “bots influenciando eleições e similares”. “Eu pessoalmente tomei decisões que afetaram presidentes nacionais sem supervisão, e tomei medidas para fazer valer contra tantos políticos proeminentes em todo o mundo que perdi a conta”, escreveu ela. O memorando é um relato condenatório das falhas do Facebook. É a história do Facebook abdicando da responsabilidade por atividades malignas em sua plataforma que poderiam afetar o destino político de nações fora dos Estados Unidos ou da Europa Ocidental.

Termos de Utilização

Todas as traduções feitas são armazenadas no banco de dados. Os dados salvos são publicados no site de forma aberta e anônima. Por este motivo, lembramos que suas informações e dados pessoais não devem ser incluídos nas traduções que você fará. O conteúdo criado a partir de traduções de usuários pode incluir gírias, blasfêmias, sexualidade e elementos semelhantes. Recomendamos não usar nosso site em situações desconfortáveis, pois as traduções criadas podem não ser adequadas para pessoas de todas as idades e locais de interesse. Se, no contexto da tradução dos nossos usuários, houver insultos à personalidade e / ou aos direitos autorais, etc. você pode nos contatar por e-mail, →"Contato"


Política de Privacidade

Terceiros, incluindo o Google, usam cookies para veicular anúncios com base em visitas anteriores do usuário ao seu website ou a outros websites. Com o uso de cookies de publicidade, o Google e os parceiros dele podem veicular anúncios para os usuários com base nas visitas feitas aos seus sites e/ou a outros sites na Internet. Os usuários podem desativar a publicidade personalizada acessando as Configurações de anúncios. Como alternativa, você pode orientar os usuários a acessar o site www.aboutads.info para desativar o uso de cookies de publicidade personalizada de terceiros.